Login
Registrar
  • por
  • spa
  • eng
  • br

Caterpillar nas grandes minas da Namíbia


As máquinas Cat® processam na Namíbia uma das maiores pilhas de material de metal do mundo.
Descobertas por primeira vez por prospectores alemães a princípios de 1900, as principais jazidas de diamantes que se estendem pela Skeleton Coast da Namíbia, em regiões como Lüderitz, conduziram posteriormente ao nascimento de prósperas comunidades mineiras nos finais do século XX. Depois de atrair caçadores de fortuna de todo o mundo, muitos destes centros converteram-se em aldeias fantasma quando se esgotaram as jazidas e, posteriormente, foram engolidas pelas dunas montanhosas do Namib. Até 1994 a maior empresa de prospecção neste país era a Consolidated Diamond Mines (CDM), que naquele momento era uma subsidiária propriedade na sua totalidade da De Beers. Nesse ano alcançou-se um novo acordo com a República da Namíbia que resultou na formação da Namdeb Diamond Corporation. Esta última é propriedade conjunta do governo da Namíbia e da De Beers Centenary AG. Dado o elevado valor intrínseco que têm esses diamantes, todas as operações mineiras da Namdeb se regem por protocolos de segurança estritos sobre como se transportam ao mercado os diamantes processados. Isto significa que todo o equipamento que acede a uma zona de extracção de diamantes (quer se trate de um tractor com lâmina dozer, um camião de recolha o uma escavadora) nunca volta a sair. No entanto, dada a escala da operação da Namdeb (e anteriormente da CDM), esta situação provocou que se tenha vindo a acumular regularmente uma grande pilha de material de equipamento redundante em diversas jazidas mineiras da Namdeb. Recentemente e devido a motivos tanto ambientais como práticos, a Namdeb tomou a decisão de limpar estas escombreiras com a empresa SA Metal, sedeada na Cidade do Cabo, África do Sul, para garantir o contrato de reciclagem e processamento sistemático dos materiais da jazida antes da sua extracção destas áreas protegidas.

A tarefa de eliminar estas máquinas e materiais redundantes está a ser levada a cabo pelas escavadoras hidráulicas Cat 330DL com cizalhas S340 montadas na lança e fornecidas pela Barloworld Equipment Namibia, o distribuidor local da Caterpillar®. Uma equipa de implementos da Caterpillar voou desde a fábrica na Holanda para ajudar a instalar as cizalhas, além de aproveitar para oferecer formação aos operadores da SA Metal. Segundo Xavier Fazakerley da SA Metal, o contrato, que começou em Julho de 2008, tem uma duração indefinida e espera-se que continue durante cerca de três anos. Durante este período, a SA Metal espera processar comercialmente cerca de 250.000 toneladas de material vendável. “Esta é uma das regiões mais corrosivas do mundo e os objectos de metal não duram demasiado neste ambiente”, explica Fazakerley. “Isto significa que todos os objectos de metal abandonados antes de mediados dos 60 ter-se-ão convertido em pó na maioria dos casos, há já algum tempo.” A maior fonte de metal abandonado encontra-se na operação de Uubvlei da Namdeb, situada a cerca de 10 km a norte do rio Orange, e estende-se terra dentro aproximadamente 1 km. “Representa uma das maiores pilhas de material de metal abandonado do mundo”, afirma Fazakerley. “Na verdade, o tamanho da operação é tão grande que a marca da jazida pode perfeitamente ser vista a partir do Espaço: é o lugar de descanso final para máquinas de movimento de terras exploradas, veículos comerciais e praticamente qualquer elemento que deixou de ser útil. Durante as operações de descarga, mistura-se tudo. Isto significa que temos que separar os materiais de metal e os que não são de metal nos elementos de origem como cobre, aço, chumbo e zinco. Actualmente estamos a processar cerca de 5.000 toneladas por mês.” Em Uubvlei, a SA Metal espera processar cerca de 100.000 toneladas de aço, com os restos originados em 15 minas satélite que se estendem aproximadamente 110 km por todo o litoral.
Publicado em: 10 AGO 2009
GalleryGallery