Login
Registar
  • por
  • spa
  • eng
  • br

Um tambor Cat mais amplo oferece uma maior produção

A Gellini Costruzioni fresa e pavimenta anualmente milhares de toneladas de asfalto.
 
O que é comum a cada tarefa do processo de pavimentação é a necessidade de produção. “Procuramos sempre formas de potenciar ao máximo a utilização do nosso equipamento para aumentar a produtividade da nossa frota,” diz Giampiero Gellini, proprietário da empresa, com sede em Arezzo, Itália.
A Gellini Costruzioni encontrou recentemente uma ferramenta chave para potenciar ao máximo a produção enquanto se realiza um trabalho de fresagem. A empresa testou uma fresadora Cat® PM200 com um tambor de 2.200 mm, e não com a largura standard de 2.000 mm. 
Os resultados foram impressionantes. “Podemos completar o trabalho em quatro passagens, em vez de cinco,” disse Gian Giacomo Gellini, filho de Giampiero e co-proprietário da companhia. “Isso significa um ganho de produtividade de 20%. Não só poupamos tempo, como também combustível. Teríamos consumido a mesma quantidade por passagem com o tambor standard. O motor PM200 tem potência mais do que suficiente para o tambor mais largo. Pudemos incrementar a produção e reduzir a quantidade de combustível consumido, com menos uma passagem, e reduzir as emissões.”


Descrição do projecto
A auto-estrada E78, chamada a auto-estrada ‘Due Mari’ ou ‘Dois Mares’, liga os mares Tirreno e Adriático. A estrada é uma rota comercial; além de unir os dois mares, também liga as cidades chave de Grosseto, a principal cidade da zona costeira da Toscana, e Fano, ponto turístico costeiro da região de Marche.
Gellini testou o seu novo e mais largo tambor num troço da E78, na província toscana de Arezzo. A estrada de 8,35 m de largura contava com uma faixa de condução e outra de ultrapassagem. Os problemas da sub-base implicavam que a estrada teria que ser reconstruída. Os planos incluíam a fresagem, reciclagem e colocação do novo asfalto num troço de 1.100 m. A Cat PM200 fresou a uma profundidade de 23 cm na faixa de condução, e de 5 cm na faixa de ultrapassagem.
As equipas de trabalhadores utilizaram técnicas de reciclagem em frio para reconstruir a sub-base. Uma pavimentadora de asfalto Cat AP600 colocou então uma camada de 5 cm de ligante, seguido por uma camada de rodagem de outros 5 cm. Então, um cilindro compactador Cat CB434 compactou a placa de asfalto.

Fresagem
A PM200 de tambor largo pôde trabalhar ao mesmo ritmo que quando a máquina levava um tambor standard. O tamanho de fractura era de cerca de 30 mm. As partículas de asfalto carregavam-se através de um tapete transportador até aos camiões.
Uma parte das partículas de asfalto foi transportada à unidade de transformação da Gellini para a sua reciclagem posterior. Armazenou-se temporalmente uma grande quantidade de partículas de asfalto nas obras para o seu uso no processo de reciclagem a frio.
O rotor e as brocas deram um resultado excelente, disse Gian Giacomo Gellini. No rotor utilizaram-se brocas de diamante preto. “Geralmente duram umas 40 horas sobre asfalto duro,” disse Giampero Gellini. “Quando uma broca se desgasta, poderá substituir-se facilmente. No entanto, cada quatro ou cinco dias deverão substituir-se todas as brocas quando se trabalha em asfalto de dureza média ou alta.”O operador Roberto Zelli ficou impressionado pela durabilidade das brocas, assim como pela habilidade dos tambores aumentarem a produção, dada a largura do tambor. Também apreciou a facilidade de operação da PM200.

Especificamente, apenas teve que fixar os controlos de nível e inclinação e deixar que mantivessem as suas posições. Todos os outros componentes e sistemas da PM200 puderam manter a produção apesar da maior largura do tambor. O sistema de pulverização de água reduziu o pó e ajudou a manter frias as brocas, e os tapetes transportadores puderam suportar facilmente os aumentos das cargas.

Tambor mais largo
Foi-lhe pedido à Gellini se poderia testar o tambor nas obras, e a Gellini aceitou.
A fresadora foi levada à oficina e substituiu-se o tambor standard de 2 m pela versão de 2.200 mm.  O primeiro teste foi fresar um troço de duas faixas de 2.300 m de comprimento na Auto-estrada Florença-Siena a uma profundidade de 23 cm. O trabalho levou uma semana inteira e os resultados foram excelentes. O tambor melhorou a produtividade e reduziu o consumo de combustível sem requerer nenhum custo nem esforço adicional.
“Os benefícios da utilização do tambor de 2.200 mm são claramente realçados quando se trabalha em grandes projectos, tais como auto-estradas e aeroportos, onde a fresadora nunca deixa de fresar; neste caso consegue-se 20% mais de produção,” disse.
A Gellini Costruzioni tinha um projecto de semelhante envergadura planificado para depois das obras da E78: a fresagem da auto-estrada E45 em Cesena, no norte de Itália. Giacomo Gellini está a pensar usar o tambor mais largo nas obras, que durarão 20 dias sem parar, e manterão ocupados mais de 20 camiões.
Gian Giacomo Gellini tem expectativas de grande consistência para as máquinas Caterpillar. “Nós compramos com base na produtividade, fiabilidade do produto, serviço pós-venda do distribuidor e preço. O facto de poder contar com uma resposta rápida e especializada do serviço pós-venda, se fosse necessário, permite focar-nos no trabalho e conseguir o maior rendimento possível do nosso investimento em equipamento,” disse.
O tambor largo ajudou a garantir o maior rendimento possível do equipamento nas obras da E78.
Publicado em: 04 MAI 2010
GalleryGallery