Login
Register
  • por
  • spa
  • eng
  • br

33 mortos este ano em acidentes com tractores

Nos últimos dez anos, morreram em Portugal pelos menos 354 pessoas em acidentes envolvendo tractores, o que dá uma média de 35 mortos/ano. Até Novembro, foram contabilizados 33 mortos. Para 2011, estão prometidas várias acções de sensibilização.
 
Segundo a Confederação Nacional da Agricultura (CAP), até Novembro registaram-se 54 acidentes com máquinas agrícolas, de que resultaram 33 mortos e um total de 37 feridos, 21 deles em estado grave. A principal causa das mortes foi o capotamento do tractor - o acidente mais comum -, seguido dos atropelamentos, quedas e esmagamento do condutor. Os dados, que resultam de uma recolha informal feita através de notícias de jornais, foram cedidos à CAP durante uma acção de formação da Direcção-Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural. Indiciam um aumento de mortes face ao ano passado.

Os números da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) - que apenas contabiliza os acidentes que ocorrem na via pública, deixando de fora os muitos que ocorrem em terrenos agrícolas - indicam que, em 2009, morreram nas estradas portuguesas 28 pessoas em acidentes envolvendo tractores, na maior parte dos casos os condutores (24). Portugal é o segundo país da União Europeia com mais mortos neste tipo de acidentes por milhão de habitantes, atrás da Grécia, segundo a ANSR.

Para João Filipe, técnico da CAP, o "envelhecimento" do parque de máquinas agrícolas português e a "negligência" dos agricultores são as principais causas deste elevado número de acidentes que, em seu entender, só será resolvido com um forte investimento em sensibilização e formação profissional dos agricultores.    

De acordo com este responsável, ao problema de um parque de máquinas "obsoleto" e sem os mais modernos equipamentos de segurança, junta-se o facto de, muitas vezes, serem os próprios agricultores a retirarem estes equipamentos de protecção (como os arcos e os quadros que os protegem em caso de capotamento), por os considerarem "incómodos", designadamente nos terrenos com árvores. Além disso, garante, "vêem-se frequentemente estruturas adaptadas pelos próprios agricultores, não testadas" e a utilização dos tractores para o transporte de pessoas, incluindo crianças, quando deviam ser apenas utilizados pelo condutor.
"Há muita negligência por parte dos utilizadores", reconhece, lamentando a falta de investimento do Governo em acções de formação e em apoios financeiros, para que os agricultores possam substituir as suas máquinas.

Ao JN, o Ministério da Agricultura garantiu que há um programa de formação nesse sentido. A ANSR anunciou que está prevista para o ano uma campanha nacional de sensibilização. Alguns governos civis, como o de Castelo Branco, também vão avançar com acções junto dos agricultores.

Parlamento recomenda ao Governo apoios para máquinas

O Parlamento aprovou recentemente, por unanimidade, um projecto de resolução do PCP que recomenda ao Governo que avance com um pacote de medidas para travar os acidentes com tractores e que inclui um programa de renovação e reequipamento das explorações agrícolas, disse, ao JN, o deputado Agostinho Lopes.

À semelhança do que acontece em Espanha, o Parlamento quer que seja criado um regime de ajudas à renovação do parque de máquinas agrícolas, com o objectivo de retirada dos tractores e máquinas mais antigas, situando essa ajuda em 150 euros por cavalo vapor.


As outras medidas passam por campanhas de sensibilização nacionais, um programa de formação e aconselhamento, rastreios e acompanhamento médico e prevenção de outros acidentes.

Fonte: JN
Jornalista: Gina Pereira


Published on: 10 DEZ 2010
Gallery