Login
Registar
  • por
  • spa
  • eng
  • br

Stihl com crescimento recorde a nível mundial


Stihl cresce 16 por cento e alcança volume de negócios recorde
O Grupo Stihl elevou o seu volume de negócios em 16 por cento em 2010, para 2.363 biliões de Euros (10,1 por cento, se as taxas de câmbio se mantivessem inalteradas). O crescimento deve-se ao aumento das unidades vendidas. A empresa conseguiu aumentar ligeiramente o seu rácio de capital para 66,7 por cento. O presidente do conselho executivo da Stihl Dr. Bertram Kandziora salientou na conferência de imprensa da companhia: "Não só conseguimos lidar com a crise económica mundial em 2010 muito melhor do que a média da indústria, como atingimos um volume recorde de negócios. Os investimentos totais a nível mundial atingiram 122,7 milhões de Euros e foram principalmente canalizados para o desenvolvimento de novos produtos e tecnologias”. O Dr. Kandziora está optimista acerca das perspectivas para o ano fiscal de 2011: "Lançaremos vários produtos novos no mercado no ano do 85º aniversário da nossa companhia. Os negócios no primeiro trimestre deste ano foram muito promissores."

Posição no mercado mundial consolidada
"As vendas de motosserras a gasolina Stihl cresceram mais rapidamente do que os mercados internacionais como um todo - o que nos permitiu consolidar ainda mais a nossa posição no mercado mundial", explicou o Dr. Kandziora. O crescimento nas vendas dos outros equipamentos a gasolina foi impulsionado por um melhor ambiente económico em geral e por condições climáticas favoráveis em muitas regiões do mundo. Ao todo, os aumentos acima da média nas vendas unitárias foram registados nas regiões da América do Sul e do Norte, na Ásia e em várias partes da Europa Oriental. A percentagem de volume de negócios realizado fora da Alemanha foi de 89,3 por cento.

Mais empregos, maior liquidez
O forte crescimento na produção foi o maior desafio, exigindo uma resposta rápida e flexível de todas as fábricas. O número de funcionários do Grupo aumentou 3,9 por cento, para 11.310 em 31 de Dezembro de 2010. Os programas de redução de custos lançados em 2009 para combater a crise económica mundial foram sistematicamente continuados em 2010. Isto resultou num aumento da liquidez e permitiu que todos os investimentos do grupo fossem financiados por activos líquidos.

Enfoque principal na engenharia electrónica das actividades de desenvolvimento
O enfoque principal das actividades de desenvolvimento em 2010 foi novamente a engenharia electrónica - com o objectivo de melhorar ainda mais os benefícios para o cliente. Após o lançamento bem sucedido do corta-sebes sem fios, a linha de ferramentas eléctricas sem fios foi ampliada com a adição de dois aparadores, um soprador, dois cortadores de relva Viking e a primeira motosserra STIHL alimentada por bateria. O sistema de controlo electrónico do motor para os produtos accionados a gasolina foi adaptado para uso numa roçadeira Stihl e actualizado com funções importantes para motosserras. A STIHL desenvolveu o primeiro controlo de alimentação de água electrónico para máquinas de corte.

O Presidente do Conselho Executivo está optimista para 2011
Comparada com a concorrência, a Stihl saiu da crise mais forte do que antes. O Presidente do Conselho Executivo, Dr. Kandziora, vê esta situação como o resultado de uma estratégia empresarial de sucesso: “Reduzimos os custos durante a crise mas não poupámos em investimentos importantes nos produtos, nas tecnologias de ponta e nos mercados. Pelo contrário, aumentámos até as nossas actividades de desenvolvimento durante a crise.”

O Dr. Kandziora encontra-se optimista quanto ao futuro e planeia um crescimento para o ano corrente, ainda que a um ritmo mais lento que em 2010. Ele espera, por agora, uma economia mundial forte. O aumento do preço de produtos fabricados pode ter um impacto prejudicial nesta conjuntura. “O ano de 2011 começou muito bem. Ainda assim, temos de observar de perto os desenvolvimentos nos mercados e permanecer flexíveis.”
Publicado em: 11 MAI 2011
GalleryGallery